Arquivo de Tag | luz

Luz e emoção

lem

Quando na inércia de uma essência desprezada, amontoada em um canto qualquer,
Um sentimento afluiu, ebuliu quase do nada, sem espera surgiu,
Não dormia na esperança de poder sonhar mais estando acordada.
Estava apagada quando sentiu na pele a luz, se iluminou – tornou-se enluarada.
Apenas uma esfera de cristais, linda, intensa, esperando refletir,
Contradizendo tempo, distância e sanidade, e o que fosse possibilidade.
A chama acesa dentro de si surgiu espalhando o desejo,
Encanto inesperado, mas fortemente bem vindo.
Fecha os olhos a lua pequena, sonha com um momento no tempo.
Abra os olhos gota de luz, faz-se possuir pelo amor que a seduz.
Pele suave, toque leve, alma de romance, nuance de delírios.
Queima em seu peito feroz e fulgurante o desejo do toque de quem está distante.
Se farta feliz de devaneios floreados,
Seu corpo afobado – se contradiz com a paciência de seu espírito.
Quer saciar-se como sedenta em meio ao calor,
Molha os lábios em beijos imaginados, mergulha num lago inventado.
Tem junto a si em pensamento o fim da distância, tormento,
É abraçada, deflagrada, sente-se tomada, aos goles fartando-o.
Prova do néctar surgindo de seus poros,
Olhares fixos,  juntos, respiração ofegando, abismo de prazer.
Era dela e dele a espera, o desejo a flor da pele, o encontro absoluto.
Mãos correm soltas em seus corpos de luz e calor,
Seguram, abraçam, apertam, afagam, acariciam e possuem-se
Lábios já são apenas um,
Unindo-se, mordendo-se, deslizando-se, saboreando como jamais.
Sente dentro de si aquele que foi alvo de sua paixão,
Enamora-se com o delírio de ser possuída, chora, grita, recita.
Afunda-se sem desejo de ressurgir, apenas lhe quer,
Lua que brilha, alma de mulher.
Era brasa apagada, por causa dele tornou-se chama incandescente.
Ela é mais do que sensações, traspassando as emoções,
Em seus olhos brilha legível, a luz da inspiração ressuscitada,
E ao se entregar a esse sonho iluminado, respira o ar de seu amado.
Tornando a sonhar acordada,
Sentindo no ar a claridade trazida pelo constante e distante sentimento,
Volta apenas a reluzir e em seus versos transcrever,
E em infinita espera, torna mais que uma quimera esse amor que se fez nascer.

*

Enluarada

*

Som e melodia em forma de poesia: Fênix, de Jorge Vercilo; Extreme – More Than Words.

 

 

 

Anúncios