Arquivo de Tag | língua

Universos transbordantes.

amor-bajo-el-agua

Quando seus lábios fartos me tocaram pela primeira vez, senti como se uma chama ardesse em minha clara pele, e por onde passava, era como se um raiar de sol percorresse a areia fria da manhã, como quando o amanhecer surge beijando o corpo do mar desde os pés do horizonte, até a boca nas ondas que se desmancham, entregues ao seu calor.

Me despi em seus braços, desnudei sonho por sonho, desejo por desejo, anseio por anseio.

Havia noite clara em minha superfície, lua cheia que eu era, superfície que ardia a cada toque dos dedos, a cada intensidade do beijo, a cada respiração profundamente ofegante.

Corpos trêmulos, tímidos, alvejados pelo êxtase do deslizar das mãos – pernas, costas, seios nuca, – e meus cabelos cativos em suas vigorosas mãos, dançando entre seus dedos enquanto pesavas sobre mim.

Ousei brincar com carícias em seu peito, enquanto o perfume da curvatura de seu pescoço me remetia aos jardins do doce prazer. E na ardência dos beijos, que se perdiam e se reencontravam, que de entre os lábios fugiam para outros hemisférios, mordi de leve tuas costas macias, percorri com vigor do início de tua face até o final de teu ombro, no intuito de arrancar-te gemidos, ofegâncias e delírios.

Encontrei teu prazer. No âmago teu, toquei e segurei com uma delicada firmeza, senti o pulsar desejoso de estar dentro de mim.

E os lábios se ardiam, entregues, mistos, os olhares se encontravam e se perdiam, só para se procurarem novamente.

E no momento do pertencer, deslizei-te para dentro de mim, vagarosamente como quem abre as pétalas de uma flor, até te sentir por inteiro, mergulhado em mim como o sol do crepúsculo mergulha em seu poente.

Te fiz oceano – imenso, jorrando vida, enquanto eu aturdida, sentia meu gozo misturado ao teu, indo e vindo, como as ondas, ora suaves deslizando ao raso, ora profundas, quebrando na turbulência do derradeiro escoar do êxtase.

E assim, se fez o amor. E assim, se fez a entrega. Em minha mente, você, simplesmente único. Em teu corpo eu, docemente cálida.

Era chama, raiar de sol, areia, mar, horizontes, infinitos, universos transbordantes que cabiam apenas ali, em nós.

*

Sih

*

Não sou dada a esquecer detalhes.

Anúncios

Navegue-me.

beijo_erotico_G

O ar me falta, a sanidade não volta. Entorpecida de desejo estou, preciso de teu amor expresso em toques, voz e presença. A ilusão de teu olhar me envolve e te degusto em devaneios e alucinações.

Teu sabor é marcante, teu perfume inebriante, teu toque me eriça, teu calor me atiça.

Desliza por meu corpo como se viaja pelo mar, navega-me nau de meu querer, e se entregue ao que sinto de mais intenso. Entre braços e pernas sirvo-te, sorvo-te e entre o que me perco, procuro-te.

De olhos fechados os sentidos do mais e mais, sinta! São meus lábios a caça dos teus percorrendo-te todo em atalhos e delongas, em detalhes e curvas. Passeio suavemente como ave a flutuar e então me atiro em frenesi como faminta a te devorar. Dissolvo teus instintos em meu nu, em meu despejar de delírios. Morda-me como quem possui, possua como quem não tem pressa, quando o tempo cessa, hei de querer-te mais.

Seja por mim e eu por ti, se minha língua não disser é porque está perdida em teu céu e as palavras são mais ofegadas do que ditas. Cada curva, cada poro, cada centímetro meu, quero no corpo teu e cada segundo quero ver-te ir e vir, como numa melodia, dançando dentro de mim, me segurando junto a ti nessa mescla de sensações inexplicavelmente extasiantes .

Beba em minha boca, sou tua fonte, busque-se em meus olhos, espelhe-se em quem te ama, desmanche-se no depois. Pois sou colo que sacia enquanto tu és paixão que vicia. Olha – percorra-me com o olhar também, ilumina-me antes de se fazer meia luz, perceba o que te seduz, seja meu leito, em ti me deito. És minha noite onde clareio o meu luar, sou lume aceso, minha chama arde quando teu corpo me invade e sinto teu peso na confirmação de que pulsas enquanto em mim.

Sim, sussurre seus gemidos, leia meus sentidos, tuas mãos podem rondar-me onde sei que queres ir. Então vá, ao menos por essa noite seja o que me faz ter a certeza desse amar, navegue-me como em um mar, e se conseguires voltar – fique à deriva nessa atmosfera que nos envolve, pois perder-se assim é encontrar-se em mim. Só teus lábios agora, apenas teus lábios molhados nos meus…descansando os beijos, ancorando tua lembrança no cais do meu coração.

*

Enluarada

*

“Eu te amo mais a cada respiração, Verdadeira, louca e intensamente…” – Savage Garden – Truly Madly Deeply

Sem limites.


O infinito de meu anseio.

Nas noites em que me desprendo de angústias,

remeto-me a viagens insólitas,

nesse espaço em que busco me encontrar,

munida de sentimentos até o fim da alma.

Solto arfares de desejo.

Lambuzo-me nos pensares abrasadores,

verto apelos, implorações, razões,

no respirar entusiasmado ao te lembrar,

entre lábios úmidos, intensos a tua procura.

São lábios vermelhos.

Lábios vorazes, sedentos, provocantes,

que se mordem inquietos de vontade.

Atreva-se, avance, se solte, venha,

atravesse as dimensões, vença os receios

Busque-me, sonde-me.

Desvende meus segredos aleatórios,

estenda tuas mãos e passeie-as por meu corpo,

corpo atiçado, flamejado, exaltado, insinuante.

Consuma minha superfície com beijos.

Encontre meus seios.

Beba-me, devagar, incessante,

desliza tua língua sobre minha pele em chamas,

resfrie-me com a enxurrada de teu prazer,

morda meu pescoço, sinta meu cheiro.

Atravesse-me, inunde-me.

Acorde meus sentidos mais recônditos,

delire em meus gemidos abafados,

perdidos em meio a toques da tua boca,

cala-me, jura-me e acenda-me mais.

Entre, entrego-me.

Faça-me tua, enquanto nua, encantada,

lamba, sinta, ofegue, rasgue-me,

misture teu corpo no meu, goze.

Alivia-me da tua ausência, deixe tua essência,

envolva-me. Saboreie-me.

Sem limites.

*

Enluarada

*

É puro amor, paixão…em ebulição, contidos,seguros à força dentro de mim. – Rimas e devaneios ao som de ♥ Total Eclipse of the Heart ♥ – Bonnie Tyler

Quantas vezes

Não, não fale de amor,

não é preciso,

não agora.

Porque o que verto,

o que exalo,

ao toque, ou ao menos

ao desejo do toque,

já me basta.

E nas tardes quentes,

não tão quentes quanto ao que

acorda o meu desejo e anseio,

minhas mãos sobre mim,

simulando as tuas,

consolam-me.

Só meus lábios solitários

de tão intensos a desejar-te,

pedem os teus,

pedem por socorro,

pedem por tua língua,

teu idioma silencioso

falando-me apenas,

te quero em mim.

Quantas vezes fiz amor

contigo em pensamento,

Nem sei…

Mas enroscaste em mim,

e então me perdi,

de desejo,

em sonhos,

com beijos.

Com teu devorar-me.

Mas sempre,

o que mais me prendeu

ao imaginar-te,

foi no fim de tudo,

afogar-me nesse mel

do mar profundo dos olhos teus.

*

Enluarada

*

Serei seu sonho, serei seu desejo,
Serei sua fantasia
Serei sua esperança, o seu amor,
serei tudo o que você precisa
Te amarei com toda a força do meu ser
Verdadeiramente, loucamente e intensamente
Serei forte, serei fiel.

 

Pois estou contando com um novo começo
Uma razão para viver.
Um sentido mais profundo.

Trecho das lindas palavras traduzidas desta musica: Truly, Madly, Deeply – Savage Garden

Beijo, fusão de desejos.

Seria muito pedir-lhe um beijo? Apenas queria um beijo, a chance de começar. Pois podendo teus lábios tocar, teria como lhe mostrar o quanto podes ter a mais, o quanto podes gostar. Afeto é apenas o início, palavras são pétalas espalhadas pelo vento, perfumando meu corpo que arde em esperança. Um corpo ousado, curvilíneo, desenhado para receber o toque de tuas mãos, sim as tuas, as duas. Conceda-me um beijo, para atiçar-lhe o desejo, esse que sei que já tens, pronto a extravasar.

Feche os olhos então e sinta o beijo, que voa qual ave, lábios vermelhos meus, que sussurram palavras de amor e doçura, enquanto lhe acariciam percorrendo por teu corpo, devagar.

Faria pedir-me mais, a começar por meus beijos. Deixar-te-ia insano, possuído de desejo. Apenas diga, sim, eu quero, eu espero, e estarei disposta a percorrer o infinito para lhe encontrar. Encontrar-lhe nessa imensidão do toque, da pele, de meu rosto a encontrar o teu, de meu gosto em ti, Lua nua a seu paladar.

Quero-te perdido em loucuras, e ao mesmo tempo lúcido, a meus lábios degustar, após minha língua tecer um passeio por teu peito, seguindo seu destino ao encontro da tua, viajando por teu céu, deslizando por teu gosto. Lembras de meu rosto? Do olhar com que a ti suplico, do sorriso que a ti dedico, dos contornos de minha face, que pelo pescoço descem, revelando meu colo e meus seios que aguardam por teus carinhos e pelo calor de tua boca?

Só um beijo e eu te levo a delirar, até que insistas em encontrar em mim o que lhe incite mais prazer, até que anseies me levar a loucura também, enquanto se delicia com a profunda carícia que desejarás em mim fazer. Ouvirás o canto dos gemidos meus, a teu nome declamar em pedidos melódicos que não pare de me amar. Carícias sentirá, quando eu não puder mais me comedir, e quando meu íntimo desejar o que é teu, terás meus lábios em ti, explorando , tocando, beijando, o calor de minha língua por ti deslizando, meus dentes, de leve a morder…

E regressarei ardente, ao mar profundo de teu olhar que suplicará em silêncio por mais beijos. Os terá, junto com meu cheiro, que marcante em ti ficará. Desejarás se perder e se enroscar em meus cabelos, manto de seda pura, e eu com ternura buscarei cada detalhe teu da forma que me incentivares, tanto quanto pedires, e em paixão me possuirás.

E quando tudo for o exílio de pensamentos, me jogarei em teu corpo, nos fundiremos ofegantes, abraçados, colados e inseparáveis, tu dentro de mim, eu presa a ti, nessa ânsia de o êxtase alcançar, no momento sublime do amar, sim, nessa fusão do desejo, que começará com o beijo, que um dia me concederás.

*

Enluarada

*

Devaneios e delírios ao som romântico de Def Leppard – Love Bites. Porque eu lhe beijaria, eu lhe morderia. De amor me perderia. Sempre.