Arquivo de Tag | intenso

Navegue-me.

beijo_erotico_G

O ar me falta, a sanidade não volta. Entorpecida de desejo estou, preciso de teu amor expresso em toques, voz e presença. A ilusão de teu olhar me envolve e te degusto em devaneios e alucinações.

Teu sabor é marcante, teu perfume inebriante, teu toque me eriça, teu calor me atiça.

Desliza por meu corpo como se viaja pelo mar, navega-me nau de meu querer, e se entregue ao que sinto de mais intenso. Entre braços e pernas sirvo-te, sorvo-te e entre o que me perco, procuro-te.

De olhos fechados os sentidos do mais e mais, sinta! São meus lábios a caça dos teus percorrendo-te todo em atalhos e delongas, em detalhes e curvas. Passeio suavemente como ave a flutuar e então me atiro em frenesi como faminta a te devorar. Dissolvo teus instintos em meu nu, em meu despejar de delírios. Morda-me como quem possui, possua como quem não tem pressa, quando o tempo cessa, hei de querer-te mais.

Seja por mim e eu por ti, se minha língua não disser é porque está perdida em teu céu e as palavras são mais ofegadas do que ditas. Cada curva, cada poro, cada centímetro meu, quero no corpo teu e cada segundo quero ver-te ir e vir, como numa melodia, dançando dentro de mim, me segurando junto a ti nessa mescla de sensações inexplicavelmente extasiantes .

Beba em minha boca, sou tua fonte, busque-se em meus olhos, espelhe-se em quem te ama, desmanche-se no depois. Pois sou colo que sacia enquanto tu és paixão que vicia. Olha – percorra-me com o olhar também, ilumina-me antes de se fazer meia luz, perceba o que te seduz, seja meu leito, em ti me deito. És minha noite onde clareio o meu luar, sou lume aceso, minha chama arde quando teu corpo me invade e sinto teu peso na confirmação de que pulsas enquanto em mim.

Sim, sussurre seus gemidos, leia meus sentidos, tuas mãos podem rondar-me onde sei que queres ir. Então vá, ao menos por essa noite seja o que me faz ter a certeza desse amar, navegue-me como em um mar, e se conseguires voltar – fique à deriva nessa atmosfera que nos envolve, pois perder-se assim é encontrar-se em mim. Só teus lábios agora, apenas teus lábios molhados nos meus…descansando os beijos, ancorando tua lembrança no cais do meu coração.

*

Enluarada

*

“Eu te amo mais a cada respiração, Verdadeira, louca e intensamente…” – Savage Garden – Truly Madly Deeply

Anúncios

Por toda a minha vida.

“Eu sei que vou te amar… por toda a minha vida eu vou te amar…”

Sabe aquele amor que nasce dentro do peito da gente, avassalador, daqueles que quando narramos faz as pessoas desconfiarem se é mesmo amor? Alguns acham que é alegria demais para ser algo tão sólido. Mas o amor não é tão óbvio. Aliás, ele pega a gente tão de surpresa que muitas vezes de óbvio e previsível não tem nada. Mas dá uma felicidade danada!

É musica que te lembra, é vento que te venta em mim, são letras que te escrevem bem diante de meus olhos e quando te leio vejo que tudo já virou um borrão matado pelas lágrimas que fluíram de meu coração que insiste em te querer tanto. É a luz que me ilumina ainda que em meu caminho tenha sombras, e o perfume dos cravos que colhi dias atrás que me fizeram imaginar teu cheiro. É…

“Eu sei que vou te amar…”

Pelos versos e reversos do que eu chamo de arte, pelos cantos e encantos e por mim em toda a parte, pelos sorrisos que me traz esse sentimento insistente e forte, pelo tempo que deixa minha vida à sorte, pelo sul e pelo norte.

“Desesperadamente eu sei que vou te amar”…

Nos dias em que o desejo se torna perene e teu nome ecoa audível no meu quarto, nos momentos em que lembro da tua voz, que beijo o teu retrato. Até que meu toque em tua pele se torne possível, e que meu navegar em teu olhar faça-me desfalecer extasiada ante a ti. E há de ser, tanto amor não pode no infinito se perder.

“E cada verso meu será…”

“Pra te dizer que eu sei que vou te amar.” Porque construístes em mim poesia. Reavivaste alegria, euforia e flores, em meus quadros da vida há cores e não há o que me faça cansar de pensar em rimas com te quero, te amo, preciso-te. Até meu respirar me faz te lembrar. Intenso é, me faz feliz, deixou raiz e não tenho previsão de me esquecer. Enquanto eu amar irei viver. E enquanto viver, de um jeito ou de outro, amar- te hei…

“Por toda a minha vida”

*

Enluarada

*

“Ei, não te contaram que não há limites para o amor? Nem tempo, nem espaço, nem presença, nem constância. O amor de tão perfeito é ilógico. Porque eu amo da forma mais louca e ainda assim, nunca me senti tão sã.”

Texto mesclado com trechos da linda música de Vinícius de Moraes – “Eu sei que vou te amar”  – também postado em minha coluna “Chuva de poesia” no site www.sandracajado.com.br

Que eu seja…amar.

E é no meu silêncio que escrevo com as letras do meu barulho, porque sou pobre de orgulho.

Porque me sinto tão Lua, tão distante, errante, de longe brincando com o mar e jogando a água com força na areia.

Daqui vejo muita coisa. Fico a pensar, o que será? Que assim seja…

E se o mar é amar, que seja em mim o mais intenso, vasto, aberto e imenso – oceano dos olhos meus que um dia desaguarão nos teus.

E se o céu é amar, que seja em mim o mais infinito, estrelado, explorado e mais bonito – asas de um coração que busca a tua direção.

E se viver é amar, que seja a vida mais plena, que a dor seja feita pequena, o que se viveu seja válido, que a luta faça sentido.

E se amar é luz, quero ser a mais forte, brilhar de sul a norte, quero te clarear, com meu calor te abraçar, teu desejo despertar.

E se amar é voar, que eu seja alada em liberdade – nessa força que me invade, que me faz flutuar – seja em pensamento, seja em poesia.

E se amar é escrever, teu corpo: meu papiro, minhas mãos: tinta e pena, minha alma rimando serena na vastidão do meu querer.

E se amar é tudo, que eu seja ainda mais, o universo, o mundo, o transcender, o além de mim, meu eu em você – o começo e o fim.

E se amar é AMAR, que eu seja Lua permanente, chorando o mar no céu espelho, no viver, no sonhar, na tua luz em vôo livre, no teu encanto, porque nunca, simplesmente – NUNCA – amei tanto.

*

Enluarada

*


Encontrei a música perfeita…

“I love you just the way you are,

So come with me and share the view,

I’ll help you see forever too

Hold me now,

touch me now,

I don’t want to live without you…”

(George Benson –  Nothing’s Gonna Change My Love For You)

Uma lição de Drummond: “Viver NÃO dói.”

Hoje, um post com uma poesia que não é de minha autoria. Escrevi várias pensando nesse momento, mas essa de Drummond simplesmente diz tudo. Dispensa comentários. E em homenagem aos poetas e escritores que falam com o coração, ao poeta que me inspirou e ainda inspira, às pessoas que apreciam poesia e palavras fluidas do coração, essa arte pintada em vermelho sangue, com sentimento, repito aqui as palavras de um grande e apaixonado poeta: Carlos  Drummond de Andrade.

*******************************************************************

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas
e não se cumpriram.

Por que sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer,
apenas agradecer por termos conhecido
uma pessoa tão bacana,
que gerou em nós um sentimento intenso
e que nos fez companhia por um tempo razoável,
um tempo feliz.

Sofremos por quê?

Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer
pelas nossas projeções irrealizadas,
por todas as cidades que gostaríamos
de ter conhecido ao lado do nosso amor
e não conhecemos,
por todos os filhos que
gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
por todos os shows e livros e silêncios
que gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados,
pela eternidade.

Sofremos não porque
nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres
que deixamos de ter para ir ao cinema,
para conversar com um amigo,
para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe
é impaciente conosco,
mas por todos os momentos em que
poderíamos estar confidenciando a ela
nossas mais profundas angústias
se ela estivesse interessada
em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu,
mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos,
mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós,
impedindo assim que mil aventuras
nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e
nunca chegamos a experimentar.

Como aliviar a dor do que não foi vivido?

A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o
desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.

O sofrimento é opcional.

*

Carlos Drummond de Andrade

*

A única garantia que tenho é o que sinto…estará aqui sempre, eterno ficará, mesmo que de outra forma. Só pela razão de ser, tornou-se impossível desfazer. Em eternas linhas escritas, ou apenas na corrente do tempo como lembrança…fez-se inspiração, logo eternizou-se!

*Por Enluarada*  Ao som de Iluminados – Ivan Lins – Porque o  amor, por mais distante e estranho que pareça,  tem o dom de curar corações!

Beije-me

Peço a ti, beije-me, mesmo que por um momento, mesmo que em pensamento.

Acabe com meu tormento, traga o fim dessa busca por alento, me beije.

Beije-me com o mais terno dos beijos, com todo desejo, sem nada a temer.

Beije-me como nunca fui beijada, como se fosse a primeira vez.

Beije-me com seus lábios que pronunciam palavras que alegram meu viver, deslize-os por mim, pois tenho sede de ti.

Beije-me com ternura, essa que só tu sabes demonstrar, com o carinho que em troca irei lhe dar.

Beije-me docemente, calmamente, levemente, suave.

Encontre meus lábios com os seus, consuma-me, percorra-me, só por um pouco me cause sufoco.

E loucamente me beije apertado, acelerado, angustiado, beijo intenso e apaixonado, mesmo que imaginado.

Beije-me com meu rosto entre suas mãos, acaricia-me e me leve junto de seu coração.

Beije-me, agora, sem demora, pois seu querer é a mim como o ar que me falta quando me beijas.

Delicie-se sentindo minha pele sob seus lábios, meu perfume atiçando seu desejo, e esse beijo…

Feche os olhos e beije-me, enrosque-se em mim, e esqueça de tudo mais, lembre-se apenas de nós.

Sugue de mim todo sabor e prazer e beije-me até enlouquecer, flutuar, desfalecer.

Beije-me, eu lhe peço, diga que me beija, prometa-me, assanha-me, mesmo que me iluda.

E assim renda-me ainda mais, se entregue a esse amor, lambuza-me, toque-me, possua-me.

Me leve com você e beije-me, não me deixes, nem me esqueça, pois meus beijos só a ti serão.

Meus melhores e mais intensos beijos, estão guardados, e são teus, então venha e me beije.

Venha buscar meus lábios, alucinar-se em meu corpo, provar do toque de minhas mãos.

Beije-me enquanto beijo-te, e nossas almas se conectam, sensações vivas, explosões.

E não haverá nada mais forte e pleno, mar revolto e sereno, nesse encontro de olhares , gestos e dizeres.

Quando enfim me encontrares, apenas beije-me!

*

Enluarada

*

Beijos molhados ao som de Bryan Adams – Straight from The Heart ; Bryan Adams – (Everything I Do) I Do It For You.

Sussurros ou silêncio – Tanto faz.

Se pudesse realizar meu desejo de estar em teus braços nesse momento, o mundo pararia de girar, o vento deixaria de soprar, tudo seria o silêncio de amar. Silêncio feito para eu em teus ouvidos sussurrar.

Apenas teu beijo doce, encontrando meus lábios sedentos de ti me calaria, mas por pouco. Em teus braços, encontrando meu ninho de proteção, me vendo em teus olhos, meu coração desabrocharia e meus sussurros lhe cobririam. Ouvirias teu nome em meio a delírios, saberias o quanto lhe quero e desejo. Saberias que não posso mais me conter. Que estás dentro de mim, que me entrego a ti totalmente, de corpo e alma… Sussurraria em teu ouvido meus íntimos segredos, meus desejos e meus medos, e sei que me acalmarias com o som de teu coração. Meus lábios proclamariam loucamente a vontade de serem possuídos pelos teus, e saberias integralmente minha decisão de fazer-te feliz, de fazer-te delirar em meu amor, de fazer-te perdido de prazer quando eu viajar em teu corpo. Saberias a temperatura de meu calor e a intensidade do meu amor. Saberias que tem nos braços uma louca – louca pelo som de sua voz, louca pela doçura de seu ser, louca pela essência do homem que és. Em sussurros revelaria que não há mais ninguém além de ti, que não importa o que aconteça estarei aqui perfumando o seu ar com meu cheiro de mulher apaixonada.

Sussurraria em meio aos beijos que lhe roubo, em meio ao passeio de meus lábios por teu corpo, todo o corpo, saboreando, degustando tua fonte de prazer, suave, deliciosamente. Imploraria-lhe para que me fizesse sua. E ao me atender, sussurros surgiriam em meio a gemidos, causados por teus lábios me explorando, as palavras perdendo o sentido… Leria em meus olhos o desejo de ter seu corpo mais uma vez sobre o meu. Seguirias os rumos de meu corpo até alcançar novamente meus lábios, me invadindo docemente, deslizando dentro de mim e nesse sentimento tão intenso de completa entrega, as palavras não se fariam mais necessárias.  Apenas sentirias e saberias que no desassossego dessa forte sensação, bate acelerado um coração que antes de ti não tinha razão.

Mais uma vez ao me perder no infinito de seus olhos, sentindo seus dedos entrelaçados em meus cabelos e você saciando tua fome de mim, noite e dia se misturam. Sussurros ficam sem nexo ante ao idioma falado pelos corpos amantes, mas tudo que sussurrado antes por verdade e apego, por assumir que sou toda tua, que lhe ter é a mim necessário, que deixei o sonho me conduzir nesse sentimento, traduz que tenho sido apenas eu mesma. Lerias agora em meu sorriso de satisfação por saber que lhe dei prazer tanto quanto me deste, o quanto minha alma transparente revela a ti o que sente, tanto em palavras e sussurros, quanto no silêncio de mim em você.

*

Enluarada

*

“Maravilhosa confusão

Entre diálogos e posições

E cada suspiro apaixonado”

Cantare D’amore – Amedeo Minghi