Arquivo de Tag | dança

A dama das paisagens.

Inconstância…

Assim que o Sol leva o calor em queda livre no infinito do horizonte, sentada estou a observar um tudo feito de nada que se mantenha inerte. Rosas brancas dançam quais bailarinas esvoaçando saias de tule e cetim, ao som do vento lírico, rodopiando enquanto a brisa canta e espalha o perfume nas camadas coloridas do crepúsculo.

Tudo muda…

O verde do tapete gramado,
vira prata acinzentado,
eis a luz do meu luar.
Os olhos de um ingênuo e indomado
coração em peito alado,
são como céu a desaguar.
As linhas do cabelo trançado,
deslizam qual mar revoltado,
nos bancos de areia do amar.

Nada permanece tão igual…

A noite é filme inacabado, e eu sou desejo infundado, sonho inventado, delírios e devaneios que me salvam nessas paisagens inconstantes.
O despertar vem me avisar que são apenas breves encontros, mas os mais reais possíveis, no plano paralelo do sonhar…porém, são apenas breves encontros. Na manhã que respira a vida, o adeus já foi dito várias vezes, o querer se tornou vício. Vou lá pra mais um pouco de viver lindo. Vou lá, pois quem me visita nas flores ao vento, nas noites e nos sonhos de luz, avista em meus olhos infinitas e mutantes paisagens.

*

Enluarada

*

“Nada dura para sempre. Nem mesmo a fria chuva de novembro…”

 

Anúncios

Clara Clareira.

Vida, clareira,

na floresta densa de ilusões.

Danço  ao som do farfalhar das folhas,

corro ao encontro, há troncos.

Mata fechada, mas não mata

se enfronhar sem aviso, curiar.

Aonde? Para onde?

Viver, horas!

Horas passam, vivo sem medo!

Não corro mais, agora tenho asas,

me foram dadas quando decidi voar.

Clareira florida da vida,

Chuva de amor colorida,

Aquarela, pintura sem tela,

promessa, resenha e espera.

Tempo seguro, tempo prematuro,

faixa de tempo, brevidade.

Pequena centelha,

fagulha de sonho,

ultimato da calamidade.

Obra de arte na tela do nada,

suspensa na eternidade.

Vi! Em palavras, em versos,

a linha da história escrita,

ninguém nega que é bonita,

mesmo nas discórdias,

até em horas de misericórdias,

vale-se sempre.

Paisagem, desfrute, libertação,

perfume de amores-perfeitos no ar,

é um dom  respirar,

Na clara, na eira, na vida clareira.

*

Enluarada

*

Quem espera que a vida seja feita de ilusão, pode até ficar maluco, ou morrer na solidão. É preciso ter cuidado pra mais tarde não sofrer. É preciso saber viver!

É preciso saber viver – Titãs.