Arquivo de Tag | Corpo

Olhos da alma.

Enxergo-te com os olhos da alma. Há muito tempo que para mim tu és muito mais do que os lábios que desejo e o corpo que anseio junto ao meu. Perfeita essência de amizade, o dom da verdade que imortaliza o amor em meu coração.

É canção da brisa suave que traz longínquos segredos que me revelam o puro querer, é meu doce carinho que aguarda poder voar e pousar no teu ninho. São estrelas que brincam de brilhar como se fossem migalhas de luz conduzindo-me no caminho ao teu encontro, é o chão de céu que me faz enluarada quando penso no teu raiar de sol.

Raiar que me clareia e incendeia meus sentimentos, lume de emoções atiçando essa ânsia quase que inconsciente, inconsequente, espontânea. Sinto-te com o sentir mais profundo, sem ter explicações nem porquês. Apenas sinto-te perto mesmo estando longe, como a senda clara da lua riscando o mar feito giz luminoso, como se fosse um beijo ardente no momento em que o horizonte toca o oceano.

Quero-te como o pulsar de minhas veias que me mantêm viva, como o ar que me rodeia e traz perfumes que me fazem te imaginar. Encontro razões lúcidas ao mesmo tempo em que mergulho em sonhos mágicos, entrelaço meus dedos nas mãos do tempo e puxo com afinco desejando ser atendida: vem! Traga-me a alegria de teu olhar e sorriso, deixe que eu me perca no teu paraíso, faça de mim teu oásis se houver deserto perto, faça-me teu leito e descanse na paz que quero te dar.

Assim como o infinito existe e não se vê, e nele cabe tanto quanto o universo puder fluir, assim é a dimensão de minha esperança baseada nessa entrega. Dela não posso fugir estando rodeada por esse espaço onde tudo me lembra você.

*

Enluarada

*

“És vertente de palavras formando um lago de emoções, tomando minha existência com tudo o que eu sempre quis sentir.”

Que eu seja…amar.

E é no meu silêncio que escrevo com as letras do meu barulho, porque sou pobre de orgulho.

Porque me sinto tão Lua, tão distante, errante, de longe brincando com o mar e jogando a água com força na areia.

Daqui vejo muita coisa. Fico a pensar, o que será? Que assim seja…

E se o mar é amar, que seja em mim o mais intenso, vasto, aberto e imenso – oceano dos olhos meus que um dia desaguarão nos teus.

E se o céu é amar, que seja em mim o mais infinito, estrelado, explorado e mais bonito – asas de um coração que busca a tua direção.

E se viver é amar, que seja a vida mais plena, que a dor seja feita pequena, o que se viveu seja válido, que a luta faça sentido.

E se amar é luz, quero ser a mais forte, brilhar de sul a norte, quero te clarear, com meu calor te abraçar, teu desejo despertar.

E se amar é voar, que eu seja alada em liberdade – nessa força que me invade, que me faz flutuar – seja em pensamento, seja em poesia.

E se amar é escrever, teu corpo: meu papiro, minhas mãos: tinta e pena, minha alma rimando serena na vastidão do meu querer.

E se amar é tudo, que eu seja ainda mais, o universo, o mundo, o transcender, o além de mim, meu eu em você – o começo e o fim.

E se amar é AMAR, que eu seja Lua permanente, chorando o mar no céu espelho, no viver, no sonhar, na tua luz em vôo livre, no teu encanto, porque nunca, simplesmente – NUNCA – amei tanto.

*

Enluarada

*


Encontrei a música perfeita…

“I love you just the way you are,

So come with me and share the view,

I’ll help you see forever too

Hold me now,

touch me now,

I don’t want to live without you…”

(George Benson –  Nothing’s Gonna Change My Love For You)

Beijo, fusão de desejos.

Seria muito pedir-lhe um beijo? Apenas queria um beijo, a chance de começar. Pois podendo teus lábios tocar, teria como lhe mostrar o quanto podes ter a mais, o quanto podes gostar. Afeto é apenas o início, palavras são pétalas espalhadas pelo vento, perfumando meu corpo que arde em esperança. Um corpo ousado, curvilíneo, desenhado para receber o toque de tuas mãos, sim as tuas, as duas. Conceda-me um beijo, para atiçar-lhe o desejo, esse que sei que já tens, pronto a extravasar.

Feche os olhos então e sinta o beijo, que voa qual ave, lábios vermelhos meus, que sussurram palavras de amor e doçura, enquanto lhe acariciam percorrendo por teu corpo, devagar.

Faria pedir-me mais, a começar por meus beijos. Deixar-te-ia insano, possuído de desejo. Apenas diga, sim, eu quero, eu espero, e estarei disposta a percorrer o infinito para lhe encontrar. Encontrar-lhe nessa imensidão do toque, da pele, de meu rosto a encontrar o teu, de meu gosto em ti, Lua nua a seu paladar.

Quero-te perdido em loucuras, e ao mesmo tempo lúcido, a meus lábios degustar, após minha língua tecer um passeio por teu peito, seguindo seu destino ao encontro da tua, viajando por teu céu, deslizando por teu gosto. Lembras de meu rosto? Do olhar com que a ti suplico, do sorriso que a ti dedico, dos contornos de minha face, que pelo pescoço descem, revelando meu colo e meus seios que aguardam por teus carinhos e pelo calor de tua boca?

Só um beijo e eu te levo a delirar, até que insistas em encontrar em mim o que lhe incite mais prazer, até que anseies me levar a loucura também, enquanto se delicia com a profunda carícia que desejarás em mim fazer. Ouvirás o canto dos gemidos meus, a teu nome declamar em pedidos melódicos que não pare de me amar. Carícias sentirá, quando eu não puder mais me comedir, e quando meu íntimo desejar o que é teu, terás meus lábios em ti, explorando , tocando, beijando, o calor de minha língua por ti deslizando, meus dentes, de leve a morder…

E regressarei ardente, ao mar profundo de teu olhar que suplicará em silêncio por mais beijos. Os terá, junto com meu cheiro, que marcante em ti ficará. Desejarás se perder e se enroscar em meus cabelos, manto de seda pura, e eu com ternura buscarei cada detalhe teu da forma que me incentivares, tanto quanto pedires, e em paixão me possuirás.

E quando tudo for o exílio de pensamentos, me jogarei em teu corpo, nos fundiremos ofegantes, abraçados, colados e inseparáveis, tu dentro de mim, eu presa a ti, nessa ânsia de o êxtase alcançar, no momento sublime do amar, sim, nessa fusão do desejo, que começará com o beijo, que um dia me concederás.

*

Enluarada

*

Devaneios e delírios ao som romântico de Def Leppard – Love Bites. Porque eu lhe beijaria, eu lhe morderia. De amor me perderia. Sempre.

Luz e emoção

lem

Quando na inércia de uma essência desprezada, amontoada em um canto qualquer,
Um sentimento afluiu, ebuliu quase do nada, sem espera surgiu,
Não dormia na esperança de poder sonhar mais estando acordada.
Estava apagada quando sentiu na pele a luz, se iluminou – tornou-se enluarada.
Apenas uma esfera de cristais, linda, intensa, esperando refletir,
Contradizendo tempo, distância e sanidade, e o que fosse possibilidade.
A chama acesa dentro de si surgiu espalhando o desejo,
Encanto inesperado, mas fortemente bem vindo.
Fecha os olhos a lua pequena, sonha com um momento no tempo.
Abra os olhos gota de luz, faz-se possuir pelo amor que a seduz.
Pele suave, toque leve, alma de romance, nuance de delírios.
Queima em seu peito feroz e fulgurante o desejo do toque de quem está distante.
Se farta feliz de devaneios floreados,
Seu corpo afobado – se contradiz com a paciência de seu espírito.
Quer saciar-se como sedenta em meio ao calor,
Molha os lábios em beijos imaginados, mergulha num lago inventado.
Tem junto a si em pensamento o fim da distância, tormento,
É abraçada, deflagrada, sente-se tomada, aos goles fartando-o.
Prova do néctar surgindo de seus poros,
Olhares fixos,  juntos, respiração ofegando, abismo de prazer.
Era dela e dele a espera, o desejo a flor da pele, o encontro absoluto.
Mãos correm soltas em seus corpos de luz e calor,
Seguram, abraçam, apertam, afagam, acariciam e possuem-se
Lábios já são apenas um,
Unindo-se, mordendo-se, deslizando-se, saboreando como jamais.
Sente dentro de si aquele que foi alvo de sua paixão,
Enamora-se com o delírio de ser possuída, chora, grita, recita.
Afunda-se sem desejo de ressurgir, apenas lhe quer,
Lua que brilha, alma de mulher.
Era brasa apagada, por causa dele tornou-se chama incandescente.
Ela é mais do que sensações, traspassando as emoções,
Em seus olhos brilha legível, a luz da inspiração ressuscitada,
E ao se entregar a esse sonho iluminado, respira o ar de seu amado.
Tornando a sonhar acordada,
Sentindo no ar a claridade trazida pelo constante e distante sentimento,
Volta apenas a reluzir e em seus versos transcrever,
E em infinita espera, torna mais que uma quimera esse amor que se fez nascer.

*

Enluarada

*

Som e melodia em forma de poesia: Fênix, de Jorge Vercilo; Extreme – More Than Words.

 

 

 

Enluarada

1219257920_amor_1

O céu está escuro. Ouço o gotejar crescente açoitando o telhado. Mergulhada em sonhos excluo a presença da distância. O perfume confortável da chuva se mistura com o aroma da chegada que me invade, me delira, inebria. Guia-me com seu olhar, busque-me com seus lábios. A noite agora está enluarada. A pele clara ilumina qual lua, o riso tímido me toma qual maré mudando meu curso, inundando meu íntimo. Veludo, toca-me com seus longos dedos, como se toca uma melodia, acordes afinados ao som do coração.

Em seu olhar qual mar azul, prendo-me, afogo-me, sem incomodar-me. Jogo-me, afundo envolta nesse gosto, presa nesse vício, grata, feliz, iluminada. Liberta da escuridão angustiante. Beba-me qual água doce, desliza para dentro de mim. Reflete-me eu seu olhar, espelho vítreo distorcido pelo amor, pela doce dor. Leva de mim tudo o que , dar- te-ei  incondicionalmente. Meu luar, meu norte, guia no amor, prazer que aquece,  acalenta docemente, lentamente, abrangente. Qual anjo envolve-me em suas asas e meu ser reconhece em silêncio quem me possui completa. Sou seu porto, seu lar, seu destino. Meu corpo é seu leito, meu desejo o seu caminho. És meu mar,o ar que respiro, a verdade absoluta, meu início e meu fim. Ronda-me, percorra-me, domina-me, ama-me. E quando a chuva levar seu cheiro, meu luar, meu mar, quando eu despertar e sua clara luz deixar minha pele, e perdida estiver na escura névoa da noite, levarás de mim a melhor parte, porque de mim tens tudo, meu pulsar, meu sonhar, desejar… Ao enluarar outras paisagens saberás que meu amor te chama, forte, intenso, completo, guardado dentro de mim na forma da esperança de que outra noite seja feita de seu luar.

Enluarada


*

 

Enluarada” expressa a mulher que mesmo em busca de igualdade, não abre mão do romantismo, do amor com total entrega e reciprocidade. Iluminada por sonhos deixa aflorar por meio de palavras o que pensa ser o desejo contido em cada alma feminina. Acredita que tem tudo o que quer, mesmo não possuindo.

*